Inspiradicas: dois filmes inspirados nas obras de Fredérico Moccia.

Auuuuuuuuuu, auuuuuuu! Voltei a uivar por esses lados da floresta, minha gente!

Como estão? Como vão? Sumi e reapareci cheia de novidades.

Vim compartilhar dois filmes de romance adolescente que são inspirados em livros Young Adults que fazem parte da minha lista no Skoob. Sabe, aqueles que a gente assiste sozinha e fica com os olhos brilhando feito bobas? Vem ver.

  • Paixão Sem Limites (3MSC)

3 metros sobre el cielo

Paixão Sem Limites (Tres Metros Sobre El Cielo) é um romance/drama adolescente inspirado na obra literária de nome homônimo do autor Fredérico Moccia, lançado em 2010 e se tornou o filme de maior bilheteria do ano na Espanha.

O filme acompanha o drama de um jovem motoqueiro, Hache/H, que está atravessando um momento complicado na família e buscando sua identidade pessoal. Quando ele conhece Babi, uma moça de família conservadora e de classe social alta, as coisas mudam completamente em sua vida.

H gosta de viver a vida perigosamente e faz parte de uma turma de jovens rebeldes que apostam corridas ilegais, enquanto Babi é uma jovem educada a luz de princípios rígidos. Já deu para perceber que um romance entre esses dois seria improvável, certo? Contudo, o coração é terra incerta e traiçoeira, como a gente bem sabe, e os dois acabam por se apaixonar. Juntos descobrem novas perspectivas do mundo ao seu redor e lutam contra preconceitos e contra todos os os obstáculos para permanecerem juntos.

Descobri o filme por acaso e foi amor a primeira vista. Embora seja clichê, um romance entre dois jovens de classes sociais desiguais, Tres Metros Sobre El Cielo conta com a atmosfera de aventura e o choque entre duas personalidades adolescentes extremamente opostas, o que gera humor e aproximação pelo enredo. Além do mais, ver dois jovens saírem de sua zona de conforto para enfrentar novos desafios sociais nos faz voltar a época em que éramos adolescentes e seguíamos contra tudo e todos em busca de uma chance de sermos aceitos e felizes.

Sem falar nas relações familiares e de amizades que são bastante presentes e fortes na construção da trama. Como a amizade de H com Pollo e a de Babi com Katina, por exemplo. Amizades que atravessam tempestades e que nos fazem lembrar o sentido de ser amigo. Uma curiosidade é que a química entre os personagens principais foi tão absurda que os atores, Mario Casas e María Valverde, engataram um romance na vida real.

  • Sou Louco Por Você

245px-Tengo_ganas_de_tiSou louco por você (Tengo Ganas de Ti), por sinal, é a continuação de Tres Metros Sobre El Cielo, lançado na Espanha em 2012. O longa também é uma adaptação da obra De Frederico Moccia e dá continuidade a história de Babi e Hache.

Decorridos três anos após a separação do casal, Hache retorna à Espanha com Babi ainda em seu coração, apesar de a moça já estar em outro relacionamento. O retorno de H não traz só lembranças à tona, como também velhos hábitos e uma misteriosa garota, Gim, que parece já conhece-lo. Enquanto H se reconecta com as pessoas de seu passado, inicia um romance incerto com Gim.

Diferente de seu primeiro amor, Gim é uma mulher geniosa, espontânea, cheia de sorrisos, com talentos excepcionais e parece ser a grande chance de H tirar Babi de vez da cabeça. No entanto, parece. Veja bem.
Diante de mudanças e do crescimentos dos personagens, novos desafios são enfrentados, como as relações entre mãe e filho ou entre irmãs/irmãos, que se fazem presente ao longo da trama e nos deixam com os olhos vazando, diga-se de passagem. Outro ponto forte é resolução dos conflitos que ficaram abertos na trama anterior e as consequências que essas resoluções podem acarretar. Bônus para a trilha sonora também! Xiiii, posso dizer mais nada sem revelar SPOILER.

tengo-ganas-de-ti01_ampliacion

Minha gente, quase surtei ao descobrir que Tres Metros Sobre El Cielo tinha continuação e não tardei a conferir. Devo dizer que foi igualmente apaixonante acompanhar os personagens, embora tenha ficado com o gostinho amargo de inacabado na boca (não posso explicar mais sem mencionar spoiler). Por outro lado, a personagem Gim foi uma surpresa muito agradável. É uma mulher forte, atrevida e que não se deixa ser diminuída.
Ah! O filme também foi sucesso de bilheteria.

Lobas e lobos, super indico os filmes. Sem dúvidas, eles são mais do que minhas palavras poderiam interpretar. Tem muito romance, mas não se trata apenas disso. Trata-se de escolhas e de como a vida pinta seu próprio curso. E outras, os livros são obrigatórios para quem gosta de romance e da pegada Young Adults. Vou ficando por aqui e até o próximo Inspiradicas. Não deixem de me contar o que acharam, ok?

Beijos, beijos a loba da vez.

Anúncios

O cinema – Tamires Branu

Auuuuuuuuuuu, lobas! Em virtude da comemoração desse sentimento sublime que é o amor por um amigo(a), deixo com vocês um recorte de um conto meu. Adaptei, recortei e registro aqui uma lição sobre amizade e o ser mulher no geral.

collage

“A casa se estendia em seus ecos esmorecidos. Os cômodos vazios de vida só me faziam querer correr para longe dali. Minha mãe berrava algo sobre o arroz estar fora da geladeira. Sinceramente, eu não me importava. Coloquem toda a culpa em mim. Meus ombros já carregavam uma grande carga de qualquer jeito.

O que posso dizer em minha defesa? Havia uma sede incomum em minha alma. Inusitada. De ares estranhos, pouco respirados.

Minha irmã chegava com seus passos tão pesados quanto seu humor. Respirei fundo. Afinal, a noite poderia ficar pior.

Já mergulhava por águas escuras, quando uma mão puxou-me de volta a sombra da expectativa. Fui ao cinema com meu namorado. Encontramos um outro casal e uma amiga desse.

Ficamos todos juntos e escolhemos uma sessão. A proximidade de nossos corpos não impediu que o silêncio se instalasse devagarinho, mas astuto em ameaçar aquela nova promessa de noite. Felizmente a amiga do casal decidiu iniciar um assunto. Alguns falavam duas ou três palavras, outros balançavam a cabeça, assertivos. Aos poucos, fui me sentindo segura para falar a vontade. E, rapidamente, fui transportada para aquele aconchegante lugar. Como é mesmo o nome? Descontração.

Dentro da sala do cinema, sentamos uma ao lado da outra. Conversamos bastante durante o filme. Rimos de nossas próprias confissões e, sem perceber, acabamos ajudando uma a outra. Uma informação e duas ou três tranquilidades compartilhadas.

O filme pode não ter sido um dos melhores, mas a noite superou minhas expectativas. Antes daquela dia, não sabíamos uma da existência da outra. Mas, quando abaixamos nossa guarda e nos permitimos a chance de nos conhecer, por um simples momento, conseguimos fundir nossas almas. Encontramos toda a compressão que não encontrávamos em casa, nos nossos parceiros e nas outras mulheres que eram levadas pelo espírito competitivo e pela vazão a que a sociedade rotulava a cada uma.

Bastou que nós duas nos libertássemos dos vícios, dos rótulos, dos medos e das falsas verdades em que os pilares da sociedade feminina estavam sendo construídos para entrar em contato com a verdadeira alvenaria. Nossa alma, nossos instintos, nossa essência e tudo mais o que nos fazem ser mulher. Era de união que nós precisávamos. E foi a união que nos salvou do sentimentos absurdos da rotina do dia a dia naquela noite.” por Tamires Branu.

Espero que tenham gostado e feliz dia do amigo!

Beijos, beijos a loba da vez.

<a href=”http://www.bloglovin.com/blog/14298779/?claim=ucnag3jb538″>Follow my blog with Bloglovin</a>