O ensaio fotográfico Afeto e o direito de amamentar!

Auuuuuuuu, auuuuuuuuuu!

Uivos de anunciação e de alegria, leitores! Vim compartilhar com vocês uma iniciativa e homenagem realizada pela fotógrafa Camilla Albano para todas as mulheres que amamentam. E ao mesmo tempo, vim afirmar o direito de amamentar sem prazo definido e livremente em público.

Ensaio Afeto por Camilla Albano Fotografia.

Ensaio Afeto por Camilla Albano Fotografia.

De acordo com a artista, “O Afeto foi um encontro feito pra quebrar o tabu sobre a amamentação em livre demanda e prolongada.” e não teria uma melhor forma de quebrar o tabu do que fazê-lo através de registros naturais, não é mesmo? Registros que captam a essência de um momento inato, repleto de amor e que evidenciam a relação da mãe com a sua cria.

Para quem não conhece, Camilla Albano é uma das maiores fotógrafas do Nordeste, dona de um olhar único e de um talento idôneo e iluminado. Quem apoia causas sociais, evidencia a figura da Mulher na modernidade e vive em um constante e crescente despertar. Já ganhou inúmeros prêmios e já esteve a frente de suas próprias exposições com o projeto  “Mulheres da Lua”, que cê pode ver mais sobre aqui.

11147134_1019402658102468_5547376441274543307_n

Camilla Albano – Fotografia.

Instagram: https://instagram.com/camilla_albano/
Flickr:
https://www.flickr.com/photos/camilla_albano
Facebook:
https://pt-br.facebook.com/CamillaAlbanoFotografia
Para contato, orçamentos e pedidos:
camilla_albano@hotmail.com

E como dito no início do post também vou discutir um pouquinho sobre o assunto. Então, convido lobas e lobos, já que preconceito não escolhe gênero, para continuar a leitura.

Certamente, vocês devem ter visto ou ouvido falar de um comentário absurdo que andou circulando nas redes sociais nos últimos dias. O comentário acompanhava uma foto em que a mãe amamentava a sua cria naturalmente em público.

Sim, o comentário é medonho e não irei divulgá-lo aqui porque meu intuito não é perpetuar discursos de discriminação ou de ódio. Não. Meu intuito aqui é propagar o amor, a compreensão e o respeito.

E por qual motivo iniciei a discussão citando o tal do comentário? Bem, as palavras que construiam o comentário funcionaram como um verdadeiro puxão de orelha para a gente se dar conta ou reavivar na memória o preconceito irracional em volta da amamentação. E antes de eu citar inúmeros fatores e argumentos que invalidam essa discriminação, vou dizer só uma coisa:

A Mulher tem todo direito de fazer o que quer e na hora que quer. Não necessita de permissão. De comando. Ou muito menos da sua aceitação. Não precisa das suas regras para cuidar ou manusear o próprio corpo. Não precisa mudar hábitos ou se esforçar em mudanças dispensáveis porque alguém disse que não está dentro dos “padrões”. Dirá ser apenas respeitada pelo seu valor monetário ou sua posição de prestígio. Ora, bolas, a riqueza de uma Mulher consiste no que ela é e não no que tem.

Então, a Mulher decide se tornar mãe. E por isso perdeu todos os direitos ou já não é mais mulher? É apenas mãe? Por ser a única capaz de trazer vida ao mundo deve ser diminuída e rotulada? NÃO. Perdão pela minha sinceridade, mas se você pensa dessa forma, que ignorância!

Mãe é transcendente. Geradora. Nutridora. É vida. Criação. Fértil. Perpétua. E acima de tudo, é MULHER. Sim. Esse ser divino dotado de sabedoria, instintos e energia plena.

Dito isso, já é suficiente para invalidar qualquer preconceito não só acerca da amamentação quando acerca do ser Mulher. No entanto, como nossa sociedade não é nada consciente, deixa eu explanar outros fatores científicos.

A amamentação é de suma importância para a saúde da criança e da mãe. O aleitamento materno proporciona a criança nutrientes essenciais tanto para o seu desenvolvimento como para o desenvolvimento de seu sistema imunológico. E engana-se quem pensa que esses nutrientes podem ou são substituídos pelas fórmulas do mercado. O leite materno contém propriedades anti-infecçiosas, sais minerais, vitaminas, proteínas e água, tudo que sua cria necessita nos primeiros meses/anos de vida.

Pois é, sabe aquele negócio de “só vou amamentar a minha filha por seis meses ou três meses porque não quero ficar com os seios caídos”? Que bobagem! Cê está negando saúde a sua filha por estética. Ou aquele “sua filha tem dois anos e ainda amamenta? Aff, por que não toma mamadeira?” Mais uma vez, você está negando um sistema imunológico reforçado e a prevenção de muitas doenças a sua filha por conta da idade dela. E desde quando tem prazo de amamentação?

Como a própria artista disse: “Amamentação em livre demanda e prolongada”!

Além do mais, a amamentação é uma ótima forma de prevenir o câncer de mama nas mulheres. E a mastite (inflamação mamária) também.

E não sou eu quem diz isso. Não. São os médicos, especialistas e pesquisadores.

Dito tudo isso, você realmente acredita que a amamentação é um ato exibicionista, pobre, despudorado e de conotação sexual? Desculpa, mas você está com um olhar equivocado de natureza. Volte para os livros, vá para a natureza e reflita. E se você, homem ou mulher, acha que o ato de amamentar tem alguma conotação sexual, procure ajuda.

E sabe do que mais? Direitos e saúde a parte, amamentar é, sobretudo, um ato de amor. Um ato em que cria e mãe compartilham da mesma energia e que se conectam como uma só.

Ensaio Afeto por Camilla Albano Fotografia.

Ensaio Afeto por Camilla Albano Fotografia.

Minha gente, como resistir a tanto amor? A tanta beleza, simplicidade e inocência? Digam-me? Pois não sou capaz. Derreto-me a cada vez que cruzo os olhos com esse maravilhoso ensaio. Um ensaio que tem sido compartilhado nas redes sociais da moça, Camilla, e de todas as mamães e pessoas que são a favor desse ato tão natural. E preciso dizer que está tendo grande repercussão, aceitação e é muito lindo de ver tudo isso.

Sou admiradora do trabalho da Camilla desde que a conheci e cada vez mais só me surpreendo com seus ensaios, projetos e as causas com que simpatiza. É muito amor! Não esqueçam de acompanhar a moça em suas redes sociais, que estão ali acima, pois vale muito a pena.

Ah! P.S: Esse ensaio foi tão mágico que uma outra fotógrafa espirituosa foi convidada para participar, a Dani Chaves. Em breve, posts dela aqui e de suas artes, hein!

Espero que tenham gostado dessa alegria e desse puxão de orelha. Perdão pelo post grande. E, mais uma vez, a discussão está aberta nos comentários. Então, me diz o que achou e o que pensa, ok? Final de semana iluminado e até a próxima!

Beijos, beijos a loba da vez.